- ainda delírios.


Houve um tempo
Em que não existia nem eu nem tu; éramos um.
Mas o tempo intrometeu-se,
Nos tornando dois, sem nenhum.

Mas em minhas pupilas há tua imagem
E em meus lábios tua memória.
Se moras ainda em meu coração
Por que este rumo da nossa história?

O Sol não encontra a Lua
Então sabem parte do que sinto por não te ter.
O dia anoiteceria com o Sol a brilhar junto a Lua
E dormiríamos juntos, ao seu corpo me aquecer.

Pra falar a verdade
Não sei qual parte disse-te que te esqueceria.
Se está tudo gravado em ambas as almas
Mesmo que tu ou eu não queira.

Mesmo com os olhos gélidos secos ou sem calor,
Ainda amo olhar para tua face com o coração em pedaços.
Espanque meus pensamentos com o desprezo de tuas palavras,
Que fecharei os olhos e ver-te-ei sorrindo pra mim; nos abraços.

É a mistura do doce e do amargo
Que meu coração me faz sentir.
Se soubesse o que fazer para te esquecer
Qualquer promessa irei cumprir.

" Se o tempo apaga, desta vez não apagou; apenas acorrentou."

- vento no litoral - legião urbana.


De tarde quero descansar. Chegar até a praia e ver se o vento ainda esta forte e vai ser bom subir nas pedras. Sei que faço isso pra esquecer, eu deixo a onda me acertar e o vento vai levando tudo embora...
Agora está tão longe, ver a linha do horizonte me distrai, dos nossos planos é que tenho mais saudade. Quando olhávamos juntos na mesma direção. Aonde está você agora além de aqui dentro de mim...
Agimos certo sem querer. Foi só o tempo que errou. Vai ser difícil sem você, porque você esta comigo o tempo todo. E quando vejo o mar existe algo que diz que a vida continua e se entregar é uma bobagem...
Já... que você não está aqui, o que posso fazer é cuidar de mim. Quero ser feliz ao menos...

"...Lembra que o plano era ficarmos bem?!"

- desapareça.


Esteja longe do meu caminho.
Saia do meu pensamento.
Suma da minha vida.
Deixe meu coração.
Destrua esse sentimento.
Corra para longe.
Afaste-se.
Fuja.
Mude-se.
Caia fora.

"Pois mesmo estando aqui, todos os dias e cada vez mais a cada segundo, tu não és mais bem vindo aqui."

- tocando o céu.


E mesmo que o Sol se ponha e escureça todo o céu, lembrarei-me que ainda haverá a Lua, que, mesmo com o infinito e obscuro o céu possa parecer, sempre haverá sua luz onde me guiarei e confortarei meus pesadelos na perseverança de seu brilho.

"E trazer de volta à vida."

- silêncio.


E quando descobriu que o tempo havia pedido uma pausa, descobriu também que o amor ali não emergia mais; apenas definhava-se. Quando sentou-se, vindo embora, o viu entrar no carro sem ao menos olhar para trás e fechou os olhos. Apenas concordou com a cabeça, sabendo que aquilo era tudo o que tinha e não seria, nunca, o suficiente e partiu sem poder gritar. Agora a vida de ambos trilhava em caminhos diferentes, agora e para sempre. O inverno apenas havia começado e eu não fazia parte do seu...

“Fechou os olhos com ódio e disse.: Sempre estará dentro de mim.”