- (re)inventando.

Tudo mudou... a vida mudou, o andar mudou, o quadrado mudou, a rota mudou, o sabor agora é outro; tudo está metódico, chato e previsível e se é assim que tem que ser então seja. Tive que (re)criar sentimentos, confeccionar os passos e deixar de sonhar alguns sonhos; sem expectativas. (re)Fiz meu libido, transformei minha necessidade e a bússola está para leste, apontando para um caminho perdido no meio tédio. Tirei o velho cérebro e (re)pensei em pensar um pensamento objetivo... sim agora sim! (re)Argumentei sua fala e agora está novo em folha, um pouco enferrujado, mas vai (sobre)viver.
"Seja bem vindo novo eu."

- relicário.

Procurei e não te achei... Onde está? Você foi embora? Estava tudo um pouco estranho, mas ainda assim precisava de você. Eu estava bem antes de você chegar, por que apareceu? Não pode ir escolhendo o lugar e tomando conta dele sem avisar ou pedir permissão; mas o fez e intitulo-me de "o pouco que sei ". Abraçou, cobriu com um singelo amor e colocou uma plaquinha escrito "SOMENTE MEU". Não impedi, não manifestei; apenas entrei no caleidoscópio e me camuflei em sentir o mesmo. Agora guardo tudo o que sobrou dentro de um pequeno relicário com chaves e correntes, para que dali nunca mais venha sair.
"Era uma vez, nós dois..."

- amor recíproco.

Que bom que você veio...
- Que bom que você veio.
Senti saudades...
- Senti saudades.
Quero te abraçar...
- Quero te abraçar.
Eu te amo...
- Eu te amo.
Quer casar comigo?
- Quer casar comigo?
Quero!!!
- Quero.
"Respondeu o eco..."