- dona de meus ouvidos.


Com sua beleza insana, seguida da maravilha de sua voz, quando entra no palco, tudo para. As luzes refletem em seu sorriso, diferente de qualquer um; o vento elevando seu cabelo, a boca seca, os olhos se fecham. Ao abrir seus lábios, não saem som, saem melodias combinadas de doçuras e força inibida de medo e vergonha. Seu assovio entontece a plateia e seu agudo faz delirar. Seu ritmo incomoda a paz e faz-se loucura. Qualquer um que te conhece simplesmente perde o chão. Mulher de 41, menininha de 18. E hoje, merece-te uma homenagem, um louvor, um feriado. Parabéns pelo seu dia e que a graça de Deus permaneça em sua vida, ajudando a trilhar seu infinito caminho, havendo derrotas e vitórias, felicidades e tristezas, porque é assim que a vida é. Saúde, felicidade e brilho, para ti e para a próxima geração que tu esperas.

- e como diz sua canção: “We Belong Together”

- um ser qualquer.


De seus lábios um sorriso forçado; de seus olhos, um olhar de incerteza. É incompreendido e culpado. Anjo do mau, demônio do bem. Sufoca com desdém, penumbra a indecisão. Critica a vida, teme a morte. Vive o momento; nem o passado nem o futuro. Sonha em ser você mesmo, tem suas próprias características. Quer assustar pensa em união, quer animar pensa na liberdade. É erótico quando é simples, ridículo quando quer se aparecer. Odeia o trabalho e precisa dele. Incapaz de machucar, incapaz de fazer feliz. Experimenta uma vodka de beijos, mas prefere a sua própria. Sonha em ser médico ou advogado, ou até mesmo nutricionista e os simples desejos foram arrancados de si por si mesmo, apenas por não ter responsabilidades ou “dores de cabeça”, procurando a solidão. Seu sorriso forçado cativa todos em sua volta fazendo-os sorrirem também, pelo simples fato deles reluzirem o brilho da Lua cheia, num raio único de simplicidade. Seus olhos fazem com que ou amamos ou odiamos. Sua vida complicada e perfeita seria o acaso. Você deixou tudo para trás vendo o mundo caindo em chamas, envenenando seu compromisso suprido pela mentira ao seu redor. Mas sabe o jeito que joga o seu jogo e sabe também do placar, tendo como prêmio seu coração; pra si mesmo. Apesar do mar ser mais forte, você continua sorrindo, e eu cativo isso! Eu o vi pela primeira vez; eu estava assustado, mas eu queria. Cara, ele tem tanta sorte...

“Can anyone take it all away?”