- seus pequenos lábios.

Está frio lá fora, me disse os vidros embaçados e o coração disparado. Apesar de estar embriagado em uma conversa controversa, me sinto livre, voando ao seu lado, mas preso a um cinto apertado, que até me falta ar; apenas ele me separa de ti. O barulho de um embrulho de um chocolate qualquer faz eu perceber o cheiro de amendoim com caramelo e leite maltado banhado no chocolate ao leite, no qual eu queria ter experimentado. Estava uma penumbra, mas pude ver claramente seus olhos olhando em direção aos meus: h - i - p - n - o - t - i - z - a - m; só penso nessa definição para eles. Eu não quis sair dali. Tentei atrasar o relógio, inventar assuntos, te induzir a esquecer a hora, mas não tinha como, pois o tique-taque estava mais acelerado do que o comum. Não sei como me despedi, não sei como saí e nem como andei. Só sei que estou aqui, mais uma vez perdido num universo paralelo e platônico dentro do meu quarto, com a cabeça coberta, olhando para o escuro e esperando te ver novamente.
"Mesmo que seja somente para te ver ao longe sorrindo com seus pequenos lábios."

0 comentários:

Postar um comentário