- amor.

Quando eu falo em amor, em que, logo se lembra? Passado? Beijos? Prazeres carnais? Ou simples palavras? Com certeza existiu branca de neve e cinderela, mas onde? Não que eu queira viver ou insistir em contos de fadas, mas o que aconteceu com o mundo? Ando buscando razões e coisas ultimamente. Buscando sentidos e pensamentos das pessoas, e analisando, vejo que a carne está gritando mais alto. Estava, pois, passando na rua e me deparei com uma criança e disse para ela: “Como é bom nós amarmos uma pessoa, levá-la para passear na beira do mar, sentar em uma ponte, ver o pôr-do-sol, contar as estrelas, conversar a madrugada toda, adormecer e acordar com o os raios do sol em nosso rosto; olhar nos olhos e dizer o quanto ama e o quanto ela é importante na tua vida. São coisas tão simples, mas o fato de estar acompanhado com teu amor, tudo basta, né?!”. E ele olhou-me e disse: “Hoje em dia "nóis temo" que "pega" as "mina". Como “cê" é brega, tio”. Me senti um velho de 20 anos! E com o passar do tempo, o amor de muitos se esfriarão; é a lei da vida.
"Pois um “eu te odeio” é mais sincero do que um “eu te amo”."

0 comentários:

Postar um comentário