- colorindo.

Como pode tão pouco tempo? Como pode dominar os sentidos assim? Será que isso é uma viagem astral, em um frenesi constante? Do preto-branco-cinza, achamos um balde de tinta cheio de cores com uma gama imensa de toda a aquarela, e eu gostei da sua. Voando de mãos dadas, sobre nuvens, dentre os pássaros, pintando um arco-íris, mas com os pés no chão; como pode isso? Eu pinto de um lado e você do outro e nos encontramos (sempre), pois o céu é nosso e as cores nós que escolhemos. Eu protagonizo as suas cores e você as minhas e nos completamos mais uma vez.
“Pois sei que nada mudou.”

1 comentários:

vaiper disse...

adoreiiiiiiiii !
boa trilha sonora me lembra "um amo pra recorda", quem dera a minha vida estivesse com todas as cores.
anda, voltamos, paramos mas sempre acabamos no mesmo lugar. =)

Postar um comentário