- como uma folha.

E se eu for como uma folha ao vento, esvoaçar-me-ei pelo ar, onde, a qualquer momento perderei o equilíbrio e cairei no chão; a descansar. Queria poder ser uma folha que paira no ar, para admirar a tua face e descansar no conforto do teu colo, subindo lentamente com o vento para sua boca encontrar e nos seus lábios ali ficar; sentindo seu cheiro, esquecendo do tempo e encontrando o equilíbrio. Mas não sou uma folha e nem posso voar, entretanto o vento sempre me leva ao teu encontro para eu me entregar e descansar.
“Nunca a despreze, na rua, pelo seu infinito significado”.

0 comentários:

Postar um comentário