- deixa o tempo.


Sentado, olhando pela janela as pessoas passarem, tornou-se monótono quando você não apareceu. Resolvi fechar a janela e puxar a cortina e não deixar os raios de Sol entrarem por hoje. O seu silêncio não me dá paz, sua ausência não me conforta e deixar de pensar em mim me assusta. Tentei gritar para você, mas você não me ouviu, ouvindo um som mais alto que minha voz. Não sei bem... Gostaria de gravar sua voz, para poder ouví-la toda vez que eu precisar, quando a saudade chegar. Um sussurro, sua respiração, batidas do seu coração, ou até o som do seu olhar. Gostaria que enterrasse um abraço em mim, disposto a ficar ali eternamente sentindo seu calor, que, nem a brisa mais fria do outono poderia desaquecê-lo. Mas o fogo está enfraquecido e na maioria dos dias (difícil de dizer isso) você parece estar se afastando cada vez mais. Quando disse que eu jogaria minhas cinzas ao mar adentro, não tive coragem e guardei-a naquele mesmo lugar. Eu sei que já passou a hora de eu seguir em frente, mas a luz do pânico me cega toda vez. Pânico? Talvez ausência ou até mesmo abraços... quem sabe voar, ou respirar, sentir, flutuar, caminhar, trilhar, pairar, tornar, formar(...). Mas poder contar com você tornou-se uma nova conquista a ser realizada, onde pensei ser e você mesmo disse que dessa forma seria mais fácil, mas as dificuldades entre dois corpos continuam as mesmas. Você pode me ajudar ou vai correr pra mais longe? Vai cantar ou deixar o silêncio? Pedi a Deus que nós não tivéssemos um fim, mas, talvez faltara-me fé ou talvez fiz o pedido errado, pois agora estou perdendo quase tudo de você. E, antes de dormir, quase rabisco um desenho que fizera pra mim, mas ao invés disso, pintei os corações de vermelho, não porque ainda existe esperanças, mas porque algum dia existiu. Entretanto, cada passo que eu dou torna-se um erro pra você, tendo em vista que sigo as pegadas que caminhei algum dia; e não sigo-as para relembrar alguma coisa, sigo-as porque eu devo trilhar meu caminho da maneira que eu acho certo, mesmo sendo irracional. Prosseguir e deixar o que passou pra lá é o mesmo que dizer que sou capaz de esquecer; confesso que não. Então eu compus uma linda canção (faço errado em escrever ao invés de falar, mas quem se importa?) onde “palavras de minha voz calada diz tudo” e “eu prometo que não estou tentando dificultar sua vida” são o tema dela, só que eu vim pela rua cantando e não escrevi-a. Mas me recordo de uma frase que dizia: “eu não vou me render, estou apaixonado e sempre estarei, mesmo te dando muita destruição e confusão e se não conseguir falar comigo novamente eu te entendo e estou certo que isso trará algum sentido pra você, onde eu ficarei calado e você pensará que eu parti pra outra, mas estará cometendo um erro.”

"Mas meus sonhos não são tão vazios como minha consciência os faz parecer e ninguém sabe como é sentir esses sentimentos como eu sinto e te culpo! Ninguém morde mais forte que sua raiva; ninguém pode mostrar seus pensamentos; ninguém para essa aflição, além de você"

0 comentários:

Postar um comentário