- apetite.


E com seus belos cabelos loiros caídos no ombro, deslizando seus peitos nus, cobrindo sua santidade, expondo seus desejos inconfundíveis. Pele de carmim quente, pingando suor, contornando suas costas com curvas inerentes de sedução, revelando a ansiedade e o receio. Lábios molhados com sua saliva onde a língua passara recentemente ali, deslumbrando seu jeitinho e saboreando todo gosto ali deixado por outra boca. Suas mãos gélidas com medo de entregar-se, ora tremendo, ora mexendo-a, ou para aquecê-la ou para acalmar-se. Um rápido arrepio que vem do pescoço, beijado ou mordido, descendo para a espinha, como uma corrente de energia inércia. E por indolência deita-se na cama, de suspiros ofegantes, murmura baixinho sua vontade invisível e incontentável, pressionando sua barriga embaixo da minha com seus pés apoderados nas minhas pernas, gemendo em meus ouvidos e soluçando seu novo poder...


“Com tuas caricias minha alma fica nua.”

1 comentários:

Marcelo R. Rezende disse...

LINDO, ABSURDAMENTE LINDO!

Postar um comentário