- além daqui.

A mão está fechada e o lábio mordido; sinto gosto de sangue na boca. Por que volta? Eu não convidei... simplesmente mandei embora com um ponta pé, sem direito a um aperto de mão se quer. Mas insiste em querer estar aqui. Eu aprendi o desapego; não consegui pôr em prática. Os segundos são desperdiçados e jogados ao vento. A folha de papel continua branca e amassada. A xícara vazia e a colher suja. O sapato ainda está embaixo da cama e a chave na escrivaninha; esperando você voltar.
“Estou em cima da casa, contando as estrelas; novamente...”

0 comentários:

Postar um comentário